AESA

 

AESA

 

AESA

 

Serviços

 

AESA: Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba

Informações Básicas

1 – ASPECTOS LEGAIS DA OUTORGA DO DIREITO DE USO DA ÁGUA

1.1 – Legislação Federal
  • O Código de Águas de 1934, que foi a primeira legislação específica do país sobre o assunto, prevê no seu Art. 43, a concessão administrativa para fins de utilidade pública das águas derivadas para uso na agricultura, indústria e higiene, e a autorização administrativa para outros fins.
  • Na Constituição Federal de 1988, consta, entre outras colocações sobre recursos hídricos:
    Art. 21. Compete à União: XIX - Instituir sistema nacional de gerenciamento de recursos hídricos e definir critérios de direito de seu uso.
  • A Lei nº 6.662/79, que dispõe sobre a Política Nacional de Irrigação, declara que o uso das águas públicas para irrigação e atividades decorrentes, depende de prévia concessão ou autorização do Ministério do Interior (Art. 20).
  • A Lei nº 9.433, de 08.01.1997, que instituiu a Política Nacional de Recursos Hídricos, na sua Seção III, Arts. 11 a 18, disciplina a outorga de direito de uso dos recursos hídricos.
  • 1.2 – Legislação do Estado da Paraíba
    A outorga de direito de uso da água está disciplinada pelos seguintes diplomas legais:
  • Lei nº 6.308/97 - institui a Política Estadual de Recursos Hídricos.
  • Lei nº 7.779/05 - cria a Agência de Gestão das Águas do Estado da Paraíba – AESA e, no seu Capítulo I, Art. 5º, fala sobre a outorga de direito de uso dos recursos hídricos em corpos d’água de domínio do Estado.
  • Decreto nº 19.260/97 - regulamenta a outorga de direito de uso dos recursos hídricos.
  • Decreto nº 26.224/05 - dispõe sobre a regulamentação e a estrutura básica da AESA e, no seu Capítulo III, Seção XIV, Art. 17, fala sobre as competências da Gerência Executiva de Outorga e Licença de Obras Hídricas.
  • 2 – OBTENÇÃO DA OUTORGA DO DIREITO DE USO DA ÁGUA

    2.1 – Significado: o vocábulo outorga significa anuência, consentimento, permissão, concessão e ato ou efeito de outorgar.
    2.2 – Definição: outorga é um instrumento que assegura ao interessado o direito de utilizar a água de uma determinada fonte hídrica, com uma vazão e finalidade determinadas e por um período definido.
    2.3 – Usos de Água que Dependem de Outorga:
  • Abastecimento humano e animal;
  • Irrigação;
  • Aquicultura (psicultura, carcinicultura, etc.);
  • Usos industriais e comerciais;
  • Lazer
  • Lançamento de efluentes (esgotos) em corpos d’água para fins de diluição, transporte e assimilação;
  • Outros tipos de uso que alterem o regime, a quantidade e a qualidade dos recursos hídricos.
  • 2.4 – Negativa de Outorga - não serão expedidas outorgas para:
  • Lançamento em corpos d’água de resíduos sólidos, radioativos, metais pesados e outros resíduos tóxicos;
  • Lançamento de poluentes em águas subterrâneas.
  • 2.5 – Documentação Necessária para Abertura do Processo:
  • Requerimento (modelo da AESA) devidamente preenchido;
  • Cópia xérox autenticada da escritura ou de documento que comprove a posse legal do imóvel;
  • Mapa de localização do imóvel, com estradas de acesso, de preferência a partir de cópia de folha da SUDENE, escala 1:100.000;
  • Projeto técnico, firmado por profissional habilitado junto ao respectivo Conselho (CREA, CRQ, etc.);
  • Cópia do CPF e RG ou CNPJ;
  • Análise química da fonte hídrica emitida pela SUDEMA, dependendo da finalidade de uso da água;
  • Outros documentos julgados necessários pelo órgão gestor.
  • 3 – PROCESSO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DA ÁGUA - FLUXOGRAMA

     

    ::. O que você está procurando na nossa página?